Você vive preso ao passado?

Todas as vezes que assisto ao filme ‘De Volta Para o Futuro’, imagino quais mudanças eu faria no meu passado. É interessante notar que cada nova atitude de Marty McFly, personagem principal, resulta em uma mudança no presente, ou melhor, no futuro (por isso o nome do filme).

Ainda não inventaram uma máquina que nos fizesse viajar tempo, apesar de muitas sugestões apresentadas por esse e muitos outros filmes. No entanto, é possível viajarmos para o passado ou futuro, principalmente quando vivemos presos a algum deles. Isso mesmo, você não leu errado! E como isso seria possível?

Vamos iniciar nossa viagem pelo passado…

Muitas pessoas acreditam que suas lembranças refletem com precisão o que aconteceu no passado, e que estas memórias são permanentes ou imutáveis. Contudo, nossas memórias sofrem mudanças ao longo do tempo. Segundo Philip Zimbardo, psicólogo especialista na área e autor do livro ‘O Paradoxo do Tempo’, “Elas (nossas memórias) não são um registro objetivo do passado, ou como um documentário de um acontecimento armazenado em um disco rígido mental. Ao contrário, as memórias são reconstruídas, e a sua reconstrução é influenciada pelas atitudes, crenças e informações disponíveis no presente. Essa natureza reconstrutiva do passado implica que o que pensamos e sentimos hoje influencia como nós nos lembramos do passado.”

Como você encara seu passado? Você pensa com frequência no que deveria ter feito de diferente em sua vida? Cometeu erros no passado que gostaria de ser capaz de corrigi-los?  Mesmo quando está desfrutando o presente, é levado a fazer comparações com experiências semelhantes no passado? Você pensa sobre as coisas boas que não pôde aproveitar na sua vida?

O trabalho de Zimbardo revela que temos dimensões múltiplas de perspectiva temporal (passado negativo, passado positivo, presente fatalista, presente hedonista, futuro e futuro transcendente – explicarei melhor cada uma delas nos próximos artigos). Se você respondeu positivamente a maioria das questões acima, é provável que sua perspectiva temporal predominante seja a do Passado Negativo. A predominância de uma perspectiva reflete suas atitudes, crenças e valores relacionados ao tempo. Em outras palavras, se você está preso ao passado, corre o risco de suas decisões presentes estarem sendo afetadas por ele, deixando que sua história exerça uma influência negativa na sua vida.

Então, como viajar no tempo?

Se ficou interessado no tema, acompanhe os próximos artigos relacionados ao Paradoxo do Tempo.

Em tempo, às vezes trocar a moldura pode alterar a maneira como você vê a pintura de um quadro antigo.

Por Fernando Lopes