Muito se fala na importância de “Ser Criativo”, “Pensar Fora da Caixa”, principalmente quando estamos nos referindo ao meio corporativo. Porém, pouco se fala sobre como cada indivíduo deve explorar sua própria criatividade. Nem precisaríamos falar que cada um possui sua própria bagagem, história e personalidade, porque disso já sabemos. Então, indo direto ao ponto, elenquei abaixo algumas sugestões de “caminhos” para irmos de encontro à criatividade.

Não devemos nos prender apenas à nossa área de atuação. Quando trabalhamos em um determinado segmento, ficamos condicionados a buscar referências dentro da mesma área ao atuação, o que não é errado, mas pode ser limitante.

De olho na concorrência, sempre! Copiar é diferente de inspirar-se. Ficar atento ao que seus concorrentes estão fazendo mantém sua “antena” ligada e, no mínimo, lhe guia para caminhos contrários, pois você não gostaria de ouvir que o resultado do seu “produto” foi uma cópia de outro, certo?

A disciplina não é inimiga da criatividade. Algumas pessoas tem uma visão distorcida dos profissionais que trabalham diretamente com criatividade, achando que cumprem prazos e fazem as coisas de qualquer jeito, ou quando “a ideia” surge. Muito pelo contrário, a criatividade e disciplina são aliadas, e quem trabalha com ambas sai na frente.

Procrastinar sim, mas sem exagero. Procrastinar significa adiar algo. Quando você está sem ideias para finalizar algo, mas se possui um prazo maior, não há problema em adiar. Mas lembre-se que adiar não é deixar de lado. Devemos manter nossa mente aberta para novas ideias que lhe auxiliem a “fechar” as pendências em aberto.

Invista no seu banco de ideias. Você não precisará utilizar de imediato todas as ideias que surgirem, até porque nem todas podem ser adaptadas para as suas demandas naquele momento. Mas o que não vale é jogar as ideias no “lixo”!

Até a próxima!

Por Fernando Lopes